A busca pelo corpo perfeito afeta a vida de milhares de pessoas e pode estar associada a diversos problemas de saúde. No caso de quem pratica atividades físicas regulares, as dietas restritivas e os transtornos alimentares podem desencadear a tríade da mulher atleta (TMA).

Você já ouviu falar sobre essa síndrome? Neste post, explicamos melhor quais são as causas e sintomas do problema, como prevenir e como é feito o tratamento. Quer tirar todas as suas dúvidas? Então acompanhe a leitura.

A tríade da mulher atleta

A tríade da mulher atleta é uma síndrome que ocorre quando a ingestão de alimentos é insuficiente para o gasto de energia diário. Essa baixa energética repercute também em outros sintomas relacionados às disfunções menstruais e alterações da densidade mineral óssea.

Toda mulher que pratica atividades físicas está suscetível a desenvolver a síndrome. No entanto, adolescentes e praticantes de exercícios de alta performance são mais vulneráveis ao problema, podendo desenvolver quadros de amenorreia e desencadear uma osteoporose precoce.

Causas

A síndrome ocorre por conta do desequilíbrio entre a energia consumida nos alimentos e a gasta nas atividades esportivas. Portanto, ela pode estar ligada a fatores como:

  • emagrecimento rápido;
  • transtornos alimentares como anorexia e bulimia;
  • baixo percentual de gordura corporal;
  • exercício físico exagerado;
  • dietas restritivas pobres em carboidratos;
  • uso de medicamentos para emagrecer;
  • pratica de esportes de resistência.

Sintomas

Os primeiros sinais que indicam que você pode estar sofrendo com a síndrome é a alteração da regularidade menstrual. Além disso, o problema também pode causar insônia, mudanças de humor, fadiga excessiva e queda de rendimento. Esses sintomas indicam que há sobrecarga de treinos com pouco tempo para recuperação e alimentação insuficiente.

Mulheres que sofrem com a síndrome também estão mais propensas a fraturas por estresse, que acontecem quando a quebra do osso ocorre sem que haja um trauma justificável. Por conta da perda mineral óssea, é possível surgir osteoporose e osteopenia precoces.

Prevenção

A melhor forma de prevenir o problema é manter um acompanhamento completo com supervisão do educador físico associado a dietas preparadas por um nutricionista.

A mulher também deve fazer um acompanhamento periódico com um médico do esporte para avaliar a composição corporal, deficiências energéticas, alterações hormonais, ósseas e imunológicas.

Tratamento

O primeiro passo para iniciar o tratamento é diagnosticar o problema. Mulheres que utilizam anticoncepcionais podem ter mais dificuldades de notar as mudanças hormonais. Portanto, é importante ficar atenta aos outros sintomas, como fadiga e mudanças de humor.

Após diagnosticada, a paciente deverá passar por um acompanhamento nutricional especializado, para adequar sua dieta às necessidades de sua carga de treinamento. A partir do momento que as baixas energéticas são sanadas, o organismo e o sistema hormonal voltam a se restabelecer e a funcionar normalmente. 

A tríade da mulher atleta é uma síndrome que ocorre quando a mulher pratica atividades de alto rendimento, mas não ingere alimentos com a quantidade energética necessária para realizá-los. Para que o problema não ocorra, é importante que a esportista tenha um acompanhamento multidisciplinar, com médicos, nutricionista, preparador físico e psicólogo. 

Gostou do post? Assine nossa newsletter e receba mais conteúdos como este diretamente em seu e-mail.