A pandemia causada pela Covid-19 marcou o ano de 2020. Assim, vivemos uma situação excepcional. Além de investir nos próprios cuidados pessoais, quem convive com crianças em casa teve que aprender a lidar com a saúde dos pequenos e também com o homeschooling — a substituição das aulas presenciais pelo ensino a distância.

Agora, muitos estados do país estão cogitando a possibilidade de retomar o ensino presencial, mas nem todos os pais sentem-se seguros para deixar os filhos voltarem. Pensando nessa situação, reunimos alguns cuidados com as crianças na pandemia e discutimos o que pode ser feito em relação ao retorno às aulas. Veja a seguir!

Quais os cuidados essenciais com as crianças na pandemia?

Os cuidados com a saúde física das crianças durante a pandemia são bastante similares aos cuidados com os adultos. É preciso investir na higiene, lavar as mãos com frequência, evitar aglomerações e manter a distância de pessoas que estão fora do convívio. Além disso, é importante ressaltar que crianças com menos de 2 anos não devem usar máscaras.

Também é importante prestar atenção em outros pontos que, muitas vezes, passam despercebidos. Você pode:

  • conversar abertamente com a criança sobre o que está acontecendo no mundo, usando a linguagem ideal para a idade dela;
  • orientar a criança a procurar ajuda caso se sinta mal;
  • dar atenção à saúde mental dos pequenos, mantendo um diálogo aberto e propondo algumas atividades que preencham o dia;
  • cuidar do que a criança lê sobre a pandemia na internet. Afinal, as notícias são capazes de criar pânico e ansiedade até nos adultos.

Além disso, não deixe de continuar investindo nas recomendações de prevenção oferecidas pela Organização Mundial de Saúde e pelo governo do seu estado. Evite sair de casa quando não for realmente necessário, limpe os alimentos comprados em supermercados ou pedidos por delivery, reforce a higiene dos ambientes e assim por diante.

Pulseira biossegurança + álcool gel

A criança deve ou não voltar às aulas antes do fim da pandemia?

Em muitos locais do país — como em São Paulo e Rio Grande do Sul —, a discussão sobre o retorno às aulas já aconteceu diversas vezes. A proposta é promover cuidados dentro das escolas públicas e particulares, para evitar a propagação do vírus. Mesmo assim, o tema tem preocupado os pais.

O fato é que é preciso aguardar o decreto do governo sobre o assunto. O que se tem discutido é a possibilidade de entregar aos pais o poder de decisão sobre a volta das crianças, desconsiderando a ausência de quem decidir não comparecer.

Também é importante acompanhar as decisões sobre o retorno às aulas e opinar sempre que possível.

O ensino a distância é o suficiente para o aprendizado da criança?

Pais e filhos têm sentido muita dificuldade em conciliar a vida em casa com o ensino a distância. Lembrar à criança que ela deve acordar cedo, comprometer-se com as aulas e reservar um horário para fazer as atividades tem sido o grande desafio de todos. Além disso, os pais, mesmo em meio a uma rotina corrida, devem acompanhar as tarefas.

No entanto, o ensino a distância pode sim oferecer o aprendizado necessário para a criança, desde que seja ministrado com qualidade. O que acontece é que o país não estava preparado para implementar esse modelo de ensino em tão pouco tempo, o que tem causado ainda mais preocupação.

A maneira mais eficiente para contornar o problema é investir ao máximo na organização ao longo do dia, estabelecendo horários, priorizando uma alimentação que garanta mais disposição e complementando o estudo com a ajuda da internet.

De qualquer forma, o retorno às aulas não será como costumávamos ver no passado. Até que a rotina possa voltar ao normal, é preciso continuar investindo nos cuidados necessários, principalmente quando convivemos com crianças em casa. O desafio é grande, por isso, convidamos você a deixar a sua experiência com esse assunto aqui nos comentários.