Em 2013, aos 37 anos, a atriz e cineasta Angelina Jolie passou por uma cirurgia para remover dois seios. Esse procedimento — conhecido como mastectomia preventiva — serve de prevenção ao câncer de mama, em casos em que a probabilidade para o desenvolvimento da doença é alta.

Tendo em vista que essa patologia maligna configura-se como uma das que mais afetam mulheres anualmente, preparamos este post com o intuito de abordar questões importantes sobre a mastectomia como medida profilática. Quer saber mais a respeito desse assunto? Então, continue com a gente!

Em quais casos a mastectomia preventiva é indicada?

A seguir, você entenderá quando esse procedimento pode ser realizado. Acompanhe!

Histórico familiar de câncer de mama

Mulheres com familiares de primeiro grau que tiveram a doença apresentam maior risco de ter um tumor maligno nas mamas. Desse modo, a mastectomia preventiva pode ser uma opção cogitada pelo médico.

Presença de lesões com alto risco

Ao verificar lesões perigosas, como o carcinoma intraductal — considerado um pré-câncer —, é possível pensar na possibilidade de realização da cirurgia preventiva.

Mutações genéticas 

Em caso de constatação de alteração genética nos genes BRCA1 e BRCA2, que são altamente indicativos do câncer de mama, também é possível considerar o procedimento. Entretanto, é necessário fazer um mapeamento genético para uma análise precisa.

Quando não é recomendada?

Apesar de a mastectomia preventiva reduzir em até 90% as chances de aparecimento do câncer mamário, a cirurgia não é indicada para todas as mulheres. Em situações em que o procedimento oferece riscos à vida — quando a paciente sofre de hipertensão, por exemplo —, pode ser contraindicado realizá-lo.

​Como o procedimento é feito?

A mastectomia é feita por um mastologista e consiste na remoção de 75% a 85% das glândulas mamárias, por meio de um corte na base das mamas. Somente o músculo da região, a pele, as auréolas e os mamilos são preservados. Caso a paciente queira, é possível aproveitar o momento para já colocar próteses de silicone.

O período de internação varia de 4 a 7 dias, e o procedimento dura, pelo menos, duas horas, pois depende de uma série de fatores, como:

  • tamanho das mamas;
  • ajustes estéticos;
  • condições de saúde da paciente;
  • colocação das próteses de silicone.

Que cuidados devem ser tomados no pós-operatório?

Para ter uma plena recuperação e garantir um pós-operatório tranquilo, algumas medidas são indispensáveis. Confira, a seguir, quais são elas:

  • fazer sessões de fisioterapia;
  • manter uma alimentação diversificada, com frutas, legumes e carnes magras;
  • realizar a higienização do local operado;
  • ficar em repouso;
  • tomar corretamente todas as medicações prescritas;
  • usar um sutiã pós-operatório;
  • dormir bem à noite.

Perceba, então, que a mastectomia preventiva pode ser considerada uma medida bastante válida quando se trata de prevenir o câncer de mama. No entanto, é necessário que o procedimento seja bem indicado para que realmente cumpra o seu papel. Por esse motivo, consulte um especialista e tire todas as suas dúvidas.

E aí, gostou deste post? Vai passar por uma cirurgia nas mamas? Então, não deixe de conhecer os sutiãs de compressão da Ortoponto, se você deseja ter um bom pós-operatório! Até a próxima!