Você sabia que quase 24% da população brasileira é formada por pessoas com algum tipo de deficiência? Esse dado foi levantando pelo Censo do Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgado em 2017 no portal do Governo do Brasil.

Trata-se de um número muito grande, que diz respeito a quase um quarto das pessoas que compõem a nossa população. É por isso que a inclusão de deficientes físicos é tão importante, para garantir que essas pessoas possam viver e conviver bem em sociedade.

Mas afinal, como promover a inclusão de deficientes físicos? Para responder a essa pergunta, listamos uma série de dicas sobre como fazer isso no mercado de trabalho, nos esportes e na educação. Acompanhe a seguir!

Inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho

De todos os deficientes que vivem no Brasil, apenas 1% têm um emprego formal, conforme revela uma reportagem produzida pela EBC. Essa estatística é muito baixa e preocupante, uma vez que o trabalho não só gera renda, mas também proporciona relevância social para as pessoas com deficiência.

A Lei nº 8213/1991, conhecida como Lei de Cotas, exige que todas as empresas que tenham mais de 100 funcionários destinem uma porcentagem das vagas para reabilitados ou pessoas com deficiência.

Assim, caso você saiba de alguma empresa que não cumpre essa regra, pode denunciá-la e exigir que deficientes físicos sejam contratados pela organização.

Inclusão de pessoas com deficiência nos esportes

O esporte é muito importante para os deficientes físicos. Isso se justifica pelo fato de que, por conta da deficiência, muitas dessas pessoas podem acabar se tornando sedentárias.

O sedentarismo não é bom para ninguém e pode trazer complicações para a saúde, como a obesidade. Além disso, a prática esportiva também promove a integração do deficiente com outras pessoas, o que é muito benéfico também para a saúde mental.

Apesar de as políticas de inclusão no país ainda serem precárias, existem diversos clubes, associações e entidades que promovem treinos e campeonatos esportivos para deficientes. Atividades como natação e basquete com cadeira de rodas são exemplos de práticas esportivas que podem ser realizadas.

Inclusão de pessoas com deficiência na educação

De acordo com uma reportagem produzida pelo jornal O Globo, aumentou o número de deficientes físicos nas escolas brasileiras. Apesar disso, a estrutura das instituições de ensino ainda é insuficiente para atender a esses indivíduos.

Os problemas nas escolas são muitos, como a falta de banheiros adequados para deficientes, ausência de rampas para cadeiras de rodas ou elevadores para que os estudantes possam ter acesso às salas de aula etc.

Para promover essa inclusão, uma alternativa interessante é que sejam feitos mutirões de pais e professores nas escolas, que podem fazer rifas, promover eventos, entre outras ações a fim de arrecadar dinheiro. Com essa verba, podem ser feitas melhorias na infraestrutura das escolas, para que elas possam receber bem os alunos com deficiência.

Também é importante que sejam cobrados os políticos de cada localidade, como vereadores, prefeitos e deputados, para que políticas públicas de apoio à educação para deficientes sejam criadas e efetivadas.

Prezar pela inclusão de pessoas com deficiência é um dever de todo cidadão, pois é preciso que tenhamos consciência e empatia, colaborando para a construção de um mundo melhor e mais digno para todos. Siga as nossas dicas e faça a sua parte!

E que tal começar compartilhando este artigo em suas redes sociais? Assim mais pessoas terão acesso a essas informações relevantes e também poderão se mobilizar com essa causa.