A prática de atividades físicas traz diversos benefícios para a saúde e qualidade de vida das pessoas com deficiência. Além disso, ajudam a melhorar a autoconfiança e a autoestima dos praticantes, sendo o esporte radical adaptado uma das modalidades que podem ser executadas.

Essa prática esportiva faz adaptações aos esportes radicais para que eles possam ser praticados, de forma segura, por pessoas com deficiência. A seguir, apresentaremos alguns exemplos mais comuns. Acompanhe agora mesmo!

Rapel 

A prática do rapel é bastante simples. Trata-se de descer superfícies com o suporte de cordas e equipamentos de segurança. É bastante comum esse esporte ser praticado em meio à natureza, em montanhas ou cachoeiras. As paisagens são sempre muito bonitas.

No esporte radical adaptado para cadeirantes não há muita diferença da versão tradicional. O atleta é mantido sempre sentado e faz os movimentos com as mãos, para se mover verticalmente. A prática é recomendada para pessoas com deficiência pela possibilidade que ela dá para que se possam fazer movimentos que são mais difíceis em chão firme.

Kayaksurf

O kayaksurf é outro exemplo de esporte radical adaptado que pode ser praticado. Essa é uma modalidade aquática que usa uma prancha com cockpit, contendo um remo que serve para fazer a movimentação e também algumas manobras. O paratleta Fellipe Kizu, que é paraplégico, ajudou a tornar o kayaksurf popular entre pessoas com deficiência. Desde 2006, ele se destaca na modalidade e já foi premiado em diversas competições pelo mundo.

Hardcore sitting

O hardcore sitting é um esporte no qual manobras são feitas com uma cadeira de rodas em uma pista de skate. Essa prática é considerada de alto risco, de modo que é necessário muito treino e dedicação, assim como o futebol para cadeirantes. Além disso, é obrigatório o uso de equipamentos de segurança, como capacetes, luvas e joelheiras. Ter uma cadeira de rodas adaptada para a prática esportiva também é necessário.

A supervisão de especialistas no esporte, principalmente nos primeiros meses da prática, é muito importante. Eles saberão orientá-lo sobre como proceder em todas as situações, bem como as formas de executar as manobras de maneira mais segura.

Tirolesa

A tirolesa é uma dos esportes radicais mais simples de serem executados. Por isso, não é preciso fazer praticamente nenhuma adaptação para que ele seja praticado por pessoas com deficiência. O esporte consiste em escorregar por uma corda de um ponto a outro. Geralmente, ele é praticado na natureza, sobre rios ou entre montanhas.

O deslocamento é feito por meio de roldanas, que ficam presas na corda principal. A beleza das paisagens onde é praticada a tirolesa, junto à adrenalina que o esporte proporciona, são os fatores que mais atraem novos praticantes para essa modalidade.

Esses são alguns exemplos de esporte radical adaptado que podem ser praticados por pessoas com deficiência. Lembre-se de que, antes de executá-los, convém que você consulte um médico para garantir que está apto e saudável para isso.

Gostou deste artigo? Então, compartilhe-o em suas redes sociais. Quem sabe você não motiva um amigo a participar de um desses esportes com você?