Sem dúvidas, uma boa alimentação tem papel essencial na manutenção da nossa saúde, visto que, por meio dela, oferecemos ao organismo todos os nutrientes necessários. Assim, se você costuma consumir alimentos pouco saudáveis e deseja mudar isso, precisa conhecer dicas para reeducação alimentar.

Esse processo consiste na mudança de hábitos alimentares inadequados — ingestão desequilibrada de gorduras, açúcares, industrializados e embutidos — com o intuito de tratar ou prevenir doenças, promover o emagrecimento, garantir qualidade de vida, entre outros benefícios. Por esse motivo, preparamos este post e explicaremos mais sobre a adoção de uma rotina alimentar mais saudável. Continue a leitura!

Como ter sucesso na reeducação alimentar?

Primeiramente, você deve ter em mente que passar por uma reeducação alimentar não significa deixar de comer suas comidas preferidas, mas alcançar um equilíbrio e controlar o consumo de alimentos pouco nutritivos. Confira algumas dicas que ajudarão no processo!

1. Durma bem

O sono, além de promover o descanso, tem importante função reparadora, ajudando no aumento da produtividade, bem-estar, memória e concentração. Uma noite maldormida é capaz de ocasionar irregularidades metabólicas e no sistema hormonal, bem como elevar a fome, fator que contribui para a ingestão de alimentos que comprometem a sua saúde. Por isso, priorize seu momento de dormir e tente descansar pelo menos 7 horas por noite.

2. Beba bastante água 

Beber água diariamente ajuda a eliminar as toxinas do corpo e esse hábito proporcionará mais vantagens quando associado a uma rotina alimentar saudável. Então, tome em média 2 litros por dia e evite o consumo durante as refeições para não atrapalhar a digestão.

3. Comece aos poucos

É fundamental saber que as mudanças alimentares devem ocorrer de maneira lenta e gradual. Dessa forma, as chances de se frustrar e desistir são menores. Lembre-se de que por ser um novo estilo de vida, é completamente normal ter dificuldade para se adaptar.

Faça pequenas substituições e aumente a lista aos poucos. Deixar de sentir falta de determinados alimentos será apenas uma questão de tempo, principalmente ao notar os ganhos na sua saúde.

4. Varie o cardápio 

Para não enjoar dos alimentos, veja as possibilidades de variar as refeições. Aprenda novas receitas, conheça ingredientes e deixe de lado o pensamento que comidas saudáveis não são saborosas. Uma boa dica também é preparar seus pratos, pois assim você pode adaptá-los da maneira que preferir.

6. Faça boas trocas

Pequenas mudanças conseguem gerar grandes resultados. Portanto, trocar a carne vermelha pela carne magra, aumentar o consumo de fibras e substituir o suco industrializado pelo natural são ótimas medidas para quem pensa em uma reeducação alimentar.

7. Procure um nutricionista

O nutricionista é o profissional mais indicado para acompanhar e auxiliar nesse processo. Ele poderá fazer um planejamento alimentar correto para que novos hábitos sejam adquiridos de acordo com as necessidades nutricionais do seu organismo.

Qual a diferença entre dietas restritivas e reeducação alimentar?

É provável que você já tenha visto dietas consideradas milagrosas, que consistem na ingestão de apenas um tipo de alimento por determinado período. De fato, elas fazem emagrecer, porém, ao mesmo tempo, colocam a sua saúde em risco, pois junto com o peso perdido há fraqueza, desidratação, cansaço e outros problemas graves.

A principal diferença entre essas dietas restritivas e a reeducação alimentar está na forma como acontece a mudança. No primeiro caso, o radicalismo provoca consequências negativas e os resultados têm prazo de validade — o famoso “efeito sanfona”. Já na segunda situação, os ganhos são maiores, duradouros e sem precisar de grandes sacrifícios.

Com algumas dicas para reeducação alimentar é possível ter uma vida mais saudável. Ao entender o propósito das mudanças, você encontrará motivação para introduzir alimentos melhores na sua dieta.

Gostou deste post? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Então deixe um comentário e participe da discussão.

Produtos bem-estar e saúde