Viajar é uma experiência que sempre rende muitas memórias agradáveis. No entanto, para garantir isso, alguns cuidados são indispensáveis. Quando se trata de uma viagem de pessoas com deficiência, por exemplo, é preciso um planejamento com foco em algumas questões específicas, a fim de garantir não apenas boas lembranças, mas também conforto, praticidade e segurança.

Quer conhecer quais são essas questões específicas que merecem atenção? Então continue a leitura e confira as nossas dicas!

Por que planejar a viagem de pessoas com deficiência?

O planejamento é importante porque evita transtornos desagradáveis, como chegar ao hotel e identificar que não tem acessibilidade, ou ainda descobrir (só ao chegar no destino final) que o transporte público não é adaptado.

Em um primeiro momento, planejamento parece relacionado apenas a questões como o dia e horário de viagem, preparação de roteiro e malas. No entanto, aqui o ato de planejar ganha outro significado. De modo geral, verifique todas as opções oferecidas pela cidade. Hotéis, pontos turísticos e meios de transporte são ótimas referências para saber se o local é uma boa escolha.

Por onde começar?

Pelo mais simples e comum: escolhendo o lugar. A partir disso, defina o tempo de viagem e liste os principais pontos turísticos. Depois de definir esses detalhes, é só verificar se é possível usufruir de tudo com segurança e conforto. Não sabe como verificar isso? Basta seguir as dicas abaixo!

1. Avalie a acessibilidade dos meios de transporte

Essa dica é válida tanto para o transporte utilizado para chegar até o destino quanto para aqueles existentes na cidade. No caso de uma viagem de avião, por exemplo, confirmar com a companhia aérea se os assentos são adaptados agiliza o processo e evita dores de cabeça. 

Quanto aos meios de transporte da cidade para onde se está indo, uma pesquisa rápida é suficiente para saber como é a questão da acessibilidade em metrôs, ônibus e carros. 

2. Busque opções de hospedagem adequadas

Não importa se a escolha for um hotel ou uma pousada. O importante é estar atento às adaptações. Pergunte, no momento da reserva, sobre as adaptações do espaço geral e dos quartos, por exemplo se há barras de apoio nos banheiros ou rampa de acesso alternativo às escadas.

Além disso, questione sobre os funcionários. Trabalhadores treinados e capacitados para oferecer assistência, mesmo que pequena, podem ajudar nos dias de estadia. 

3. Não se esqueça de alguns itens importantes

Roupas mais soltas e confortáveis tornam a viagem mais agradável. Sendo assim, é um fator que merece atenção. Procure também ter uma carta do médico ou especialista, muito útil caso algum agente aeroportuário faça questionamentos no aeroporto.

4. Conheça os direitos

Os direitos das pessoas com deficiência são muitos. Conhecê-los é fundamental para fazer com que sejam cumpridos. Afinal, apenas desse modo é possível exigir tudo aquilo que está previsto na lei. 

A fim de curiosidade, alguns dos direitos relacionados à temática viagem são: 

  • Uma lei regulamentada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) garante que os ônibus devem estar adaptados com rampa móvel, plataforma elevatória e cadeira de transbordo;
  • Nas viagens de ônibus, as empresas não podem cobrar valores extras para o transporte de equipamentos como muletas ou cadeiras de rodas.

Como vimos, o segredo para o sucesso da viagem de pessoas com deficiência é o planejamento. Feito isso, é só aproveitar tudo o que o novo lugar oferece: restaurantes, pontos turísticos, novas pessoas, novas oportunidades.

Está pensando em viajar? Sabia que a manutenção preventiva da cadeira de rodas também é uma forma de planejar e cuidar da sua viagem? Aproveite e descubra onde comprar peças para esse equipamento!

Cadeiras de rodas