O ciclismo paraolímpico, também conhecido como paraciclismo, consiste em um esporte praticado por pessoas com deficiência, a partir do uso de bicicletas e triciclos adaptados para a competição. Trata-se de uma variação do ciclismo, marcada por muita velocidade e resistência, apesar das limitações dos participantes.

Os atletas mostram todo o seu potencial, quebram recordes e desmitificam a ideia de que a condição física é uma barreira constante. Para lhe informar melhor sobre o ciclismo paraolímpico, preparamos este post.

Ficou interessado no assunto? Então, continue a leitura agora mesmo e saiba mais sobre tal esporte!

Como surgiu o ciclismo paraolímpico?

Essa modalidade teve início na década de 80, mas nessa época somente atletas com deficiência visual participavam da competição. Mais tarde, nas Paraolimpíadas de Nova York, o esporte tornou-se uma opção também para atletas com paralisia cerebral ou que tiveram partes do corpo amputadas.

No território brasileiro, o ciclismo paraolímpico chegou apenas em 1992, o que não influenciou os resultados obtidos nas disputas, pois em 1994 foi conquistada a primeira medalha de ouro, na Bélgica.

Como funciona o ciclismo paraolímpico?

Os atletas podem competir por meio do ciclismo de estrada e de pista. No primeiro, os competidores iniciam a corrida juntos e percorrem 120 km, sendo vencedor aquele que cruza a linha de chegada primeiro. No segundo, a prova acontece em uma pista oval, com 250 m, e a competição pode ser nos seguintes formatos:

  • pursuit: disputa entre dois competidores, um do lado do outro. Aquele que alcançar seu adversário em menos tempo vence a competição;
  • sprint: pode acontecer com dois atletas, individual ou em equipe. Os competidores devem dar três voltas na pista, e quem fizer isso mais rápido ganha;
  • contrarrelógio: modalidade individual, na qual o vencedor que realizar o percurso em menos tempo é vencedor.

Quais as formas de competição?

Basicamente, existem 4 modalidades de competição. Cada atleta ocupa uma categoria de acordo com sua deficiência. Saiba mais sobre elas!

 Convencional

Na modalidade convencional, participam atletas com algum tipo de deficiência no tronco, pernas e/ou braços. No entanto, eles utilizam uma bicicleta comum, apenas com as adaptações necessárias à competição.

Triciclo

As provas são feitas por atletas com limitações físicas. Para isso, usa-se um triciclo, que será impulsionado com as mãos.

Tandem

Trata-se de uma modalidade voltada para pessoas com deficiência visual. Assim, utiliza-se uma bicicleta com dois lugares. Uma pessoa sem deficiência ocupa o local da frente para direcioná-los na competição.

Handbike

O termo handbike significa pedal nas mãos. Nessa categoria, competem atletas paraplégicos, que usam uma bicicleta especial movida com as mãos.

Perceba, então, que o ciclismo paraolímpico é um esporte muito importante tanto para os atletas quanto para as pessoas com deficiência que não o praticam. Pois além de dar visibilidade à causa da inclusão social, tornou-se um instrumento de motivação e compartilhamento de histórias inspiradoras de superação.

Gostou deste post e quer ficar por dentro de todos os conteúdos que produzimos? Então, siga-nos em nossas redes sociais! Estamos no Facebook, Instagram, Youtube, Twitter e LinkedIn!